Vida real x vida utópica na prospecção


  • É preciso vários touch points para o sucesso da prospecção


Se realmente é imprescindível para o sucesso na prospecção então quem prospecta empresas que não estão nas redes está fadado a não ter sucesso na prospecção?

Vida real: você pode pedir conexão no IN, enviar e-mail antes, fazer o cold call depois de tudo isso, mas o que realmente vai impactar ou (não) é a abordagem usada nos touch points. Relacionamento é uma via de mão dupla.


Pedir conexão com decisores que nem são ativos no IN é desperdício de tempo. Pule essa etapa que não vai impactar em NADA no seu fluxo. Não dá para fazer algo só por fazer.


  • Quanto mais reuniões, mais oportunidades são geradas.

Vida real: depende das reuniões que foram agendadas.


  • Vendedor/SDR tem que ter “sorriso na voz”


Vida real: não tem nada que prove isso. Se o seu decisor tiver o perfil dominância (perfil objetivo, distante e totalmente voltado para resultados) ou Conformidade (introspectivo, fechado, frio e voltado para resultados), não é o “sorriso na voz” que vai aumentar ou reduzir as suas chances.


O sorriso na voz motiva mais o vendedor/SDR do que ALGUNS deciores.


Responda: quantas vezes você colocou aquele sorrisão na voz e do outro lado a pessoa se manteve fria como um frízer? Pois é...


Seja profissional com sorrisos ou sem sorrisos.


  • A vida real em vendas/prospecção é:


  • Entender a “dor” que você resolve e se essa “dor” impacta no cliente potencial;

  • Comunicação clara, transparência;

  • Identificar como é o processo de decisão;

  • Ser consultivo desde o primeiro contato;

  • Entender que a base das vendas B2B é necessidade x benefícios.


 




4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo